Cáritas promove oficina sobre migrantes e mudanças climáticas

0

2011-399954041-20110713133014512ap.jpg_20110713A Cáritas Brasileira realiza hoje, 8, a oficina Mudanças climáticas e seus impactos nas pessoas migrantes — eixo 4 do Fórum Social Mundial das Migrações (FSMM) — na Universidade Zumbi dos Palmares, em São Paulo.

A oficina será desenvolvida por meio de uma parceria com o Fórum Mudanças Climáticas e Justiça Social (FMCJS), Instituto Migrações e Direitos Humanos (IMDH), Departamento Justiça e Solidariedade (Dejusol) do Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam) e Secretariado Latino-Americano e Caribenho da Cáritas (Selacc), que possuem experiência na atuação junto a migrantes e refugiados e na temática das mudanças climáticas.

O FSMM reúne organizações sociais e redes de movimentos sociais com o objetivo de compartilhar experiências, estudos, denúncias e propostas sobre o tema das migrações. O fórum busca articular de forma descentralizada as ações concretas desenvolvidas por entidades e redes tanto em escala local quanto internacional, melhorando as condições de vida dos deslocados, migrantes, refugiados/as e apátridas. O FSMM 2016 começou nesta quinta-feira, 7, e segue até domingo, 10.

A ação com migrantes e refugiados é parte da caminhada da Cáritas em nível mundial e, particularmente, da caminhada de 60 anos da Cáritas no Brasil. Em nível nacional, a entidade intensificou as ações em rede sobre a temática a partir de 2015, organizando já em outubro daquele ano o primeiro Seminário Nacional sobre Migrantes e Refugiados. A intenção era aprofundar o debate, partilhar experiências e definir orientações e diretrizes para o trabalho.

Reconstrução do Haiti

Hoje, com um grupo de articulação estabelecido em nível nacional, a Cáritas tem voltado suas atenções para a construção de um plano de trabalho que busque fortalecer a atuação da rede, fortalecer as parcerias e apoiar de maneira concreta as ações desenvolvidas com o público-alvo, especialmente naquelas regiões onde há uma presença maior de refugiados/as e migrantes.

Na oficina desta sexta, será abordada principalmente a situação do Haiti enquanto exemplo de impacto das mudanças climáticas sobre os processos migratórios, mas que também representa uma excelente oportunidade para a implementação de ações solidárias e de reconstrução de vidas.

A oficina terá como painelistas Ivo Poletto, teólogo, filósofo e cientista social, coordenador do Fórum Mudanças Climáticas e Justiça Social (FMCJS); Erivan Silva, filósofo e pedagogo, assistente-técnico da Cáritas em Sobral/CE; irmã Rosita Milesi, missionária scalabriniana, mestre em Direito e especialista em Migrações e Refúgios, diretora do Instituto Migrações e Direitos Humanos (IMDH); Márcia Teresinha Ponce, assistente social, coordenadora-executiva da Cáritas Arquidiocesana de Londrina/PR; Etiene Charleis, haitiano voluntário na Missão Paz, que vai dar seu testemunho sobre os impactos e consequências do terremoto de 2010 no seu país de origem e sobre sua experiência da vida como migrante no Brasil.

Por Canção Nova, com Caritas Brasileira

Compartilhar.

Deixe um comentário