EQUILÍBRIO NOS IDOSOS – Tonturas – Quedas

0

O equilíbrio: como é mantido?

O equilíbrio corporal é mantido por diversos orgãos e sistemas. Os principais sensores do sistema do equilíbrio estão no labirinto, olhos, músculos, ossos e articulações.

Todas essas estruturas mandam informações sobre a posição da cabeça e do corpo para o cérebro que analisa estas informações e faz ajustes para manter um equilíbrio perfeito. O cerebelo também ajuda nessa tarefa. Tudo funciona com muita harmonia, como se fosse uma orquestra.

Como surge o desequilíbrio?

O desequilíbrio (tontura) aparece quando as informações não são mandadas corretamente para o cérebro ou quando o cérebro não consegue entendê-las como deveria. Significa que uma ou mais das estruturas responsáveis em mandar e receber informações estão alteradas ou estão em conflito. As doenças e o processo de envelhecimento muito contribuem para o desequilíbrio do idoso.

Como é a tontura?

Pode ser uma simples sensação de desequilíbrio, impressão de queda, mudança de rumo, sensação de flutuação, vertigem. A vertigem é um tipo frequente de tontura, a pessoa sente que as coisas giram ou ela gira.

Os diferentes tipos de tontura podem ocorrer em qualquer faixa etária mas é nos idosos que elas são bem mais frequentes e preocupantes por causa das quedas. Nos ambulatórios de clínicas geriátricas a incidência de tonturas atinge 81% a 90% .

Por que os idosos caem?

Cerca de 29% dos idosos caem ao menos uma vez por ano e 13% caem de forma recorrente. A lesão acidental é a sexta causa de mortalidade em pessoas idosas. A queda é responsável por 70% dessa mortalidade.

As doenças que acometem os idosos podem ser fatores únicos das quedas ou fatores coadjuvantes das labirintopatias.

Entre as causas que predispõem à quedas , podemos citar as seguintes:

Tipos e excesso de medicamentos:cerca de 3000 medicamentos são citados como possíveis causadores de tontura e vertigem. Os efeitos indesejáveis causados pelo excesso e pela interação medicamentosa são incontáveis. O paciente idoso costuma tomar remédios receitados por vários médicos.Além de tomarem remédios demais, as doses nem sempre estão certas.

Visão:as causas principais de visão prejudicada são glaucoma, degeneração macular , retinopatia diabética.

Ortopedia:artrite, osteoporose, sequelas de fraturas, anquiloses.

Labiríntica: prevaleça das tonturas posicionais, tonturas infecciosas, degeneração progressiva das estruturas labirínticas.

Cardiovascular: problemas circulatórios nas extremidades distais causando neuropatia periférica , baixo impulso vascular cardíaco.

Neurológico: história de acidente vascular cerebral , insuficiência vertebrobasilar, esclerose múltipla.

Endocrinológica: aumento de incidência de diabete trazendo consequências à retina e ao labirinto.

Vida sedentária: vida sedentária leva à obesidade e esta afeta a função do equilíbrio.

Há pessoas idosas que costumam sair pouco de suas casas pelo receio que possam cair. As quedas porém são mais frequentes justamente em casa e são resultantes de ‘’perigos domésticos’’ como as escadas, os pisos escorregadios, pouca luminosidade e disposição inadequada de móveis. As escadas e o trajeto quarto-banheiro, principalmente à noite, são considerados os de maior risco na moradia.Além da limitação social e física em idosos com tonturas , uma queda pode resultar em fratura. As fraturas podem levar à hospitalização muitas vezes prolongada e de custo elevado.

O “ataque de queda”

A maior causa de queda dos idosos são de natureza acidental : cair das escadas , tropeçar num tapete, escorregar num assoalho encerado , etc.

Mas um outro tipo de queda pode ocorrer nos idosos: o ‘’ ataque de queda’’ ou sincope postural . Os ataques de queda são súbitos, não acidentais ,sem nenhum sinal ou sintoma pregresso de queda. A pessoa simplesmente cai (desaba) e se dá conta que está no chão. Em geral resultam em lesões (fraturas, ferimentos,hematomas, contusões ) de maior ou menor gravidade.Os casos de ataques de queda ou sincopes posturais são atribuídos a uma hipotensão ortostática com momentâneo deficit circulatório cerebral, acompanhados de perda temporária da consciência.

Como previnir e tratar tonturas e quedas nos idosos?

Prevenção

Enquanto alguns fatores de risco para as quedas não podem ser mudados, como o envelhecimento, outros podem ser eliminados ou reduzidos através de orientações de prevenção a pacientes e familiares:

Estar ciente dos objetos e móveis existentes na casa e suas localizações;
Evitar escadas;
Eliminar objetos e móveis desnecessários;
Mover-se devagar;
Usar iluminação de orientação;
Evitar bebida alcóolica;
Evitar o uso de roupas folgadas e longas que possam enganchar em objetos ou móveis;
Eliminar tapetes que possam deslisar ou dobrar;
Estar atento aos animais domésticos , seus brinquedos e recipientes com água;
Colocar roupas ao fácil alcance, evitando bancos ou escadas;
Usar calçados bem adaptados aos pés. Evitar chinelos, pantufas, etc. pequenos ou folgados.
Tratamento

O tratamento inicia com uma retomada das condições orgânicas e psiquicas da pessoa idosa:

Os medicamentos precisam ser revistos quanto aos tipos, quantidades e doses. Uma avaliação da condição visual, neuro-psicológica, cardio-vascular, metabólica, endócrina, ortopédica é necessária. A atividade física (aeróbica e anaeróbica) precisa ser exercida pelo paciente idoso, seja na academia, seja com educador físico personalizado.

Os medicamentos anti-vertiginosos são usados nos casos de crises agudas de tonturas e cabe ao médico monitorar as doses e tempo de uso.

Uma vez estabelecido um diagnóstico inicia-se a fisioterapia labiríntica que é um programa de exercícios que visa aumentar a estabilidade postural.É chamado reabilitação vestibular.

O tratamento cirúrgico está indicado em casos específicos (tumores,insucesso de tratamento clínico).

Como a tontura do idoso evolui ?

O tratamento médico e as medidas preventivas de quedas trarão uma melhor qualidade de vida ao idoso, oferecendo-lhe maior segurança nas suas atividades diárias.

Perguntas que você pode fazer ao seu médico ?

A tontura nos idosos é diferente ?

Por que os idosos caem ?

O tratamento para tonturas e quedas dos idosos é eficiente ?

Referências Bibliográficas

1. Ganança MMG et al. Labirintopatias RBM-ORL 1999; 6 (1):3-12
2. Gans RE. Dizziness, Vertigo and Falls: issues for older adults and practitioners. ENT and audiology News 2011; Vol. 20 nº 1:66-88

Compartilhar.

Deixe um comentário