Missionário que ajudou jovens no Paquistão e no Quênia trabalhará no Vaticano

0

Alzacuellos-Pixabay-20082019

O sacerdote salesiano Miguel Ángel Ruiz Espínola, que desenvolveu seu ministério sacerdotal nas selvas das Filipinas, assim como no Paquistão e no Quênia, foi indicado pelo Papa Francisco como novo membro da Secretaria de Estado do Vaticano.

Pe. Ruiz Espínola, até então pároco na casa dos salesianos em Algeciras, Cádiz (Espanha), foi diretor espiritual da Confraria Salesiana da Penitência de Nosso Pai Jesus Cativo (Medinaceli) e Maria Santíssima da Esperança.

O missionário salesiano espanhol foi ordenado sacerdote no ano 2000, no sul das Filipinas, depois de estudar teologia em Manila. Depois, viveu dois anos nas selvas das Filipinas e 11 anos no Paquistão, onde trabalhou especialmente para a defesa dos cristãos perseguidos, com um intervalo de 3 anos para concluir seus estudos de Direito Canônico em Roma.

Em 2012, Pe. Ruiz Espínola foi premiado pelo governo espanhol com a ordem da Rainha Isabel, pelo trabalho social realizado entre a minoria cristã do Paquistão.

Em 2017, foi destinado ao Quênia, onde se encontra a maior concentração de pobreza na África. Um ano depois, em 2018, foi enviado para Algeciras, uma cidade de Cádiz, no sul da Espanha.

Segundo vários meios locais, José Ignacio Landaluce, prefeito de Algeciras, parabenizou o sacerdote e assegurou que o ano em que trabalhou nesta localidade deixou “uma marca importante devido ao seu bom trabalho, não apenas na aplicação do sacerdócio, mas também por sua ação social e pelo trabalho que desenvolveu dentro da Confraria de Medinaceli e Esperança”.

Landaluce também desejou ao Pe. Ruiz Espínola “os melhores sucessos em sua nova missão na Santa Sé” e lhe disse que espera que leve “Algeciras no coração, assim como aqui sempre nos lembraremos de você”.

Via ACI Digital

Compartilhar.

Deixe um comentário