Saúde mental na terceira idade, conheça os transtornos mais comuns nesta fase da vida

0

A terceira idade é uma fase de muitas mudanças na vida do ser humano. Aprender a lidar com esse período é essencial para que essa fase transcorra de forma natural e nao prejudique as relações interpessoais
Na terceira idade, a saúde mental do idoso é um ponto que deve ser observado, em especial pela suscetibilidade desse grupo de pessoas a determinados transtornos psicológicos criado pelas mudanças biológicas e sociais.

Apesar da aparente vulnerabilidade da terceira idade, existem certos tipos de transtornos mentais que precisam ser observados. É importante destacar que algumas práticas podem impedir ou até mesmo reverter determinados quadros de transtorno. Para isso é essencial que exista um acompanhamento médico especializado que permita apontar quaisquer propensões que a pessoa possa ter, seja por histórico familiar, aspectos psicossociais e grau de instrução.
Fatores de risco
Existem algumas características comuns da velhice que tendem a influenciar o surgimento dos transtornos mentais, e os mais comuns são:
• Perda das funções sociais
• Perda de autonomia (financeira ou motora)
• Morte de familiares ou colegas próximos
• Comprometimento da saúde
• Isolamento social
• Problemas financeiros
• Diminuição das capacidades cognitivas
• Transtornos mentais mais comuns em idosos
• Demências
• Alzheimer
• Demência vascular
• Esquizofrenias
• Depressão
• Bipolaridade
• Delírios
• Ansiedade
• Utilização de álcool ou substâncias psicoativas
Obviamente que a idade acaba contribuindo para a evolução de determinados transtornos, porém é importante que a pessoa que está nesta fase e sua família se conscientizem sobre a necessidade de levar a vida normalmente. Na terceira idade, é importante realizar atividades que estimulem a atividade cerebral. Palavras cruzadas, xadrez, leitura, jogar videogame,por exemplo, são métodos caseiros para driblar a degeneração dos processos cognitivos pois o cérebro irá estar sempre sendo estimulado e fazer novas conexões. É importante que a família interaja efetivamente nesse caminho de reorganização das rotinas, para que o corra da maneira mais natural possível.

Compartilhar.

Deixe um comentário